quarta-feira, 17 de maio de 2017

Volta às aulas

Sabem aquela emoção que temos, quando no reinício das aulas, tomamos contato com novos alunos, vindos ou de uma outra escola ou até mesmo de outra cidade?
Pois então.
Todos os dias, ao final da tarde, vou buscar a minha neta na escola.
Vejo lá as mesmas caras de sempre... mães, avós e babás conversando naqueles 5\10 minutos que antecedem a abertura dos portões, onde nos dirigimos às classes, separadas por idade.
Num destes dias, me deparei de repente com uma cara nova no meio de toda aquela mesmice. Uma mulher que me pareceu um pouco velha para ser mãe, mas que ao mesmo tempo me parecia jovem para ser avó.
Como não consigo ser muito discreto, fiquei olhando pra ela durante um tempo e até consegui um sorriso e um olhar quase cúmplice. Um único sorriso.
Mas foi suficiente para reacender no meu coração de menino, aquela chama que não se apaga, mesmo com alguns desapontamentos.
Ao passar dos dias, ficava à espreita esperando a sua chegada, mas ela tem um horário bem apertado. Muitas vezes chega exatamente no horário de abrir os portões.
Num destes dias em que ela chegou mais cedo, até consegui fortuitamente, tirar uma foto dela. Notei uma particularidade.
Ela mora muito perto da escola, pois vem buscar a netinha com um carrinho de bebê apenas.
Os dias se passaram e eu sem jeito de iniciar uma conversa.
Mas, para minha tristeza, passei a notar a sua ausência. Não a via mais.
E aí me dei conta, da existência de uma babá que vinha com o mesmo carrinho, donde supus que vinha buscar a "neta" dela. Meu mundo caiu neste dia.
Mas, e felizmente sempre tem um mas, hoje a reencontrei e nos cruzamos rapidamente e eu arrisquei um "olá!". E aí a mágica se deu. Ela respondeu ao cumprimento, com aquele mesmo sorriso cúmplice do primeiro dia.
Seguimos em frente, cada um na sua direção, mas voltei a sonhar.
Me senti como o E.T. quando conseguiu se comunicar com seu planeta de origem. Sua casa.
E fiquei com vontade de gritar:- "ET PHONE HOME...ET PHONE HOME!"
Como não pude fazê-lo ali, estou fazendo aqui neste meu cantinho.


ET PHONE HOME!!!


sábado, 11 de março de 2017

Adeus, olá!

É melhor retirar-se e deixar uma bonita lembrança, do que insistir e virar um verdadeiro incômodo. Você não perde o que nunca teve, nem mantém o que não é seu. Se você é forte pra dizer adeus a vida te recompensará com um novo olá.
(ligia guerra)


sábado, 24 de dezembro de 2016

Corazon partido

Engraçado que esta música era a música preferida da tal pequena pedra preciosa. Mas é ela que me veio à mente quando o meu coração voltou a doer. E justamente por esta frase... "por que me curaste e agora me deixas com o coração partido?".
Mas as pessoas não sabem disto quando entram numa nova história... e aí me incluo, ao pensar que" desta vez será diferente e para sempre".
Mas precisamos partir, até para poder nos reencontrarmos.
Vou tentar encontrar uma caixa de memórias, onde possa deixar todas as lembranças e fotos deste tempo, que foi muito bom e bonito, mas que não fiquem o tempo todo no mural do nosso presente, pois a dor da lembrança tiraria toda possibilidade de um novo encontro.
Vá minha moça linda, ao encontro da felicidade.
Eu estarei aqui te cuidando, perto suficiente para não estar longe, mas longe o suficiente para não estar junto.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Moça rara.

Ela é rara moço.
Rara do tipo que não se encontra perdida por aí.
Rara, quando escolhe Jobim  durante a noite para ouvir.
Tão rara, que com um único sorriso também te faz sorrir.
Ela é rara, moço.
Do tipo que fica, mesmo depois de partir.

terça-feira, 7 de junho de 2016

O facebook e "O mito da Caverna de Platão".

Prisioneiros foram criados amarrados desde o nascimento a um banco dentro de uma caverna. Atrás deles, havia um muro da altura de um homem que começava desde o início da caverna e atrás deste muro, ardia o tempo todo uma fogueira, que fazia com que todos os que passavam por lá tivessem sua imagem projetada na parede oposta e era esta a imagem que os prisioneiros viam.
Então, estas imagens projetadas e o eco das conversas das pessoas e dos animais que passavam, era toda a realidade que eles tinham.
Este para eles era o mundo real e eles não tinham acesso ao mundo exterior, hora alguma.
Lendo este Mito da Caverna de Platão, me ocorreu que hoje muitas pessoas, imersas quase o tempo todo nesta caverna facebookeana, veem uma realidade que acreditam ser real, mas acabam se esquecendo que há um mundo concreto com gente de carne e osso e não apenas composto de avatares, fotos e vídeos.
Até eu, sou criticado por alguns que me consideram uma destas pessoas, dado que até chego a me apaixonar por personagens, acreditando serem reais.
Seria a minha Dreamland, uma caverna e estou amarrado dentro dela?
Boa noite Dreamland!

quarta-feira, 23 de julho de 2014

RE_SENTIMENTO

Sou incapaz de ressentimento.
Depois de um amor ter passado, não volto a senti-lo  jamais.


quarta-feira, 25 de junho de 2014

GRATIDÃO


Na madrugada entrante  do dia 30 de setembro de 2011 tomei uma decisão.
E, apesar de estar embriagado quando a tomei, amanhã completo 1000  dias deste propósito.
Obrigado à Beatriz, que mesmo  sem o querer me motivou e obrigado a todos que me apoiaram e incentivaram neste trajeto.

Um dia de cada vez!