quinta-feira, 22 de setembro de 2011

O amor começa a morrer justamente no momento em que ele está garantido pela morte! .

Lendo trechos de um texto e ouvindo parte de um vídeo da brilhante Lígia Guerra, me lembrei da história de uma amiga, figura notória e queridíssima, que contraiu um câncer de pulmão e que por ficar próximo , quis entender um pouco da história afetiva dela, pois para mim os canceres são produzidos e criados por nós e não contraídos. Mulher e mãe zelosa (apesar de uma vida cheia de atividades, pois até chegou a criar um império), no fundo no fundo descobriu um vazio dentro de si, pois aquele homem que escolheu para se casar, não era o homem dos seus sonhos, mas apesar disto ela passava por cima de si e usando suas próprias palavras "morreria ao lado dele". Num determinado momento, resolveu assumir o des-amor e pediu a separação... Tentou novos amores e até encontrou o que seria "o homem da sua vida", mas aí os anos todos onde sem o saber morrera um pouquinho por dia, cobraram a grande conta e constatou-se o tamanho do estrago. Por problemas outros, que não a doença, este romance terminou (não o amor dela por ele!!!). Mas, tudo isto, só me veio à mente, por esta frase acima, do texto a que me referi... Dai, fico com a frase... VIVA CADA DIA DO SEU AMOR...MAS VIVA!!!

11 comentários:

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Um belo e verdadeiro texto...e tantas vidas e tantos amores se perdem talvez por medo de mudar...circunstâncias da vida...tanta coisa.
Adorei ler e deixo um beijinho.
Sonhadora

Lígia Guerra disse...

Um beijo Av3sso nessa bochecha de menino traquina! Eu vim aqui para desejar que a sua noite seja estrelada de inspirações...

:-**

Amapola disse...

Boa noite.
Senão ficará o arrependimento.

Um grande abraço.
Maria Auxiliadora (Amapola)

Amor e outros delírios disse...

Amiga do Edson:
Nada nessa vida é definitivo. O pra sempre não existe, o IMPOSSÍVEL também não (seja a que for que se refira).
Um grande beijo,
do meu coração!
Marie
amoreoutrosdelirios.blogspot.com

Alê disse...

A voz da Laura e as imagens de Doce Novembro...

Quem não quer um amor assim?

Se vivemos um e terminou: as lembranças serão sempre calor nas noites frias...


Placco: ando sem tempo, desculpe a ausência.


Que a primavera lhe traga cores e cheiros mil,


Bjkas

olhar disse...

cada dia...INTENSAMENTE!


beijos em você!

Bia

Mah disse...

Lindo demais. Gosto dos seus texto pq eles me conduzem à reflexão.

beijo!

tem coisa nova no meu blog!

Lua Nova disse...

"Que não seja imortal posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure!"

O medo é que impede essa plenitude, um medo tão atávico quanto a necessidade de ser amado.
Um medo que nem sempre compreendemos, mas o qual justificamos a ponto de nos convencermos de que ele é real.
O medo ganha, o amor se perde. Nós perdemos o bom do amor.

A música é linda. Não tinha ouvido a Laura cantando inglês.

Beijokas.

Raquel disse...

Uma fascinante, triste, porém linda história de amor Placco.

"As vezes nossos caminhos são tortuosos e implacáveis e não há nada que possamos fazer, a não ser trilhá-los até que chegue ao fim."
Raquel magno

Tenha um dia maravilhoso é o que desejo pra ti, te conheço pouco ainda, mas já pude perceber que és de uma sensibilidade enorme.
beijos

vanessa cony disse...

E a gente sabe disso...
A mágoa consome vida.É uma pena.

Pully Deracco disse...

Lindo meu querido vou levar comigo ♥