sábado, 10 de dezembro de 2011

O CÁLICE TRINCADO...

Não sei porque, me lembrei daquele cálice que os padres tão zelosamente guardam numa caixa aveludada, e que o pulem um pouco antes de usá-lo para a entrega das hóstias... Delicados, mas por serem de metal, não há chances de trincá-los!.. Mas não foi o que senti hoje, em relação a este cristal que eu mantive numa caixa não aveludada, mas bem junto ao meu coração, e que inadvertidamente senti algumas fissuras, ainda imperceptíveis a olhos nus, mas por estar aonde está, fica difícil   não  enxergar... Chego até a ficar em dúvida, se tais fissuras são só uma ilusão de ótica, mas pelo vazio e pelo calafrio em mim provocados, posso dizer que a percepção está mais para de um sismógrafo, do que para um leitor ótico!!! Quem sabe, não era esta a intenção pretendida a fim de definitivamente me fazer enxergar o quão flácida, frágil e sem alicerces é a nossa história (se é que existe uma história ou apenas uma coletânea de bons momentos regados a chá, cafe e muitas risadas alternados com sucos de tomate bem apimentados!).Enfim, gostaria de ter-lhe dito isto ao vivo, mas minha síndrome de abstinência que à priori já tenho pela sua ausência, far-me-ia desistir...

5 comentários:

Canto da Boca disse...

As despedidas no geral são tristes...

Amor no singular disse...

"Amar é ter um pássaro pousado no dedo. Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode voar” (Rubem Alves).
Bom findi, querido.
Beijos,
Taís
amornosingular.blogspot.com

blog da Paraguassu disse...

Olá Placco Araújo,
Vi seu comentário no blog da Mery e resolvi vir conhecer seu espaço. Vi, gostei muito e já estou ficando.
Seu post é muito bonito, de uma sensibilidade muito grande.
Os cristais que citas, pareceram-me um relicário de um amor já partido e que começam a dar sinais de que partirão também.
Uma bela postagem!
O conteúdo de seus posts me agrada muito e, por conseguinte, já o sigo.
Se quiseres conhecer meu blog, fique à vontade. Eu adoraria vê-lo por lá.
Tenha um ótimo domingo.
Abraços,
Maria Paraguassu.

Fernanda Lyra disse...

Gostaria muito de saber quem foi que destruiu seu coração!
ferlyra06@hotmail.com...bj

Anna Alchuffi disse...

coração sempre deixa a gente na mão!