terça-feira, 2 de agosto de 2011

Ah, como eu queria!!

Nesses tempos de escassez de esperanças, as coisas mais bonitas perderam a importância. Digo, os amores são pela metade. Os olhares já não são tão doces. E os sonhos, ah, os sonhos são só sonhos. Os sorrisos deram lugar as lágrimas, e o ”seja você mesmo” deu lugar ao verbo julgar. Eu julgo, Tu julgas, Nós julgamos e somos julgados. O verbo amar no presente virou pretérito, o verbo amar no pretérito virou dor. Ah, como eu queria ouvir um ”eu te amo” e poder acreditar.   ...........   Não consegui identificar a autora, mas é de um reblog (?)(oqueeucostumavaser)

5 comentários:

Walkyria Rennó Suleiman disse...

puxa, que mágoa..... queria saber o que te fizeram.

Mas bem, vim aqui pra dizer que vc nem vai mais no céu, e no mnemosine, só comenta post velho. Quiqui é isso, gentefina?

Vivian disse...

...sabia que a palavra 'eu te amo'
tem um peso muito grande para
quem ouve?

tem sim...muito mais,
do que para quem fala.

quem fala transfere seu amor
ao outro, tornando-o assim
responsável por este amor,
e qqr deslize vira dor,
vira cobrança, vira dramalhões,
como se esta pessoa fosse a
tábua de salvação para este
pobre coração.

portanto devemos ter cuidado
em transferir ao outro nossos
sentimentos como se esse
fosse o responsável por tudo
que esperamos receber.

por isso as decepções,
as dores, as lágrimas,
enfim os sofrimentos
que cavamos sem saber.

bjbj

C. disse...

Querido Edson,

esse post ficou parecendo o "caos de sentimentos", onde a esperança e a fé se dizimaram hehe
Mas nao te "julgo", porque eu ando assim também.
Acabei de ler um post que fala sobre a freira que deixa o convento pra "viver um grande amor", e fiquei pensando que esperança é essa que se deixa um convento pra viver um o quê mesmo? kkk

Temos que acreditar mais, meu amigo, se nao, tá danado.

Ei, eu também gosto do teu estilo.

olhar disse...

faça a diferença que você quer ver no mundo...

MUDE!

ACREDITE!

SE ENTREGUE!


um beijo com carinho!

Bia

Alê disse...

Que texto profundo,

Sabiamente colocou a realidade em poucas linhas e nos mostrou o quanto somos efêmeros


bjkasssssss