sábado, 27 de agosto de 2011

FALANDO DE AMOR

O amor tem mais de um sentido mas sempre remete a uma coisa só, embora faltem palavras até pra descrever esta coisa, pois amor não se descreve, se sente... Pobres filósofos e poetas, que tentam descreve-lo, pois é o ato de sentir que o define e mesmo quem o sente, fica com dificuldades de exprimi-lo, pois é um ato introspectivo e não exteriorizável. Nós até podemos vislumbrar alguns sinais deste amor em alguém, mas a nossa própria percepção é sempre filtrada  pelos nossos sentimentos. Quantas vezes podemos ser amados por alguém e não perceber, assim como podemos ver amor, em meros sinais contraditórios que adequamos aos nossos desejos. Estamos o tempo todo à merce desta ambiguidade, e de fato nunca teremos certeza alguma de nada, neste quesito. Mas não importa.. É.. justamente este eterno conflito que nos mantém vivos e com a tal chama acesa, pois quando ela se apaga, é porque não estamos mais nesta. Mas à nossa revelia, por toda nossa vida, se o amor realmente existiu, a sua evocação sempre fará fibrilar nosso coração

7 comentários:

Mery disse...

Pobres filósofos e poetas que tentam definir o que é o amor...
Coreto, ele nos pega e nós sem defesa, ficamos sem noção do que é certo ou errado, mas é muito bom amar.
Beijos da Mery.

Amor e outros delírios disse...

Amor... indefinível. Lindas palavras, como sempre!
Beijos,
Marie

Alê disse...

Placco,

Ultimamente ando pensando no quanto complicamos esse sentimento, que na verdade, só quer ser vivido... Mas nós o dificultamos, complicamos e não o vivemos,

Ando desacreditada dele,


Mas há de ser passageiro

Vivian disse...

...enquanto ficamos tentando
definir o amor,
ele deixa de ser vivido.

isso sim é uma pena!

smacksss, moço!

Luna Sanchez disse...

Escrevemos, lemos, cantamos, pintamos e bordamos tanto em nome do amor em uma tentativa nula de compreendê-lo...e comemoramos por não ser possível, já que isso comprometeria grande parte do seu encanto.

;)

Um beijo, Placco.

Gislãne Gonçalves disse...

O amor é multidirecional, multifacetado, o amor é muti não uni

Beijos

Lua Nova disse...

Definir? Pra que? O bom é senti-lo, vivê-lo, expandir-se nas sensações com que ele nos arrebata e voar livre e solta nas asas abertas dessa emoção sem paralelos possíveis.
O amor justifica a vida. Sempre.
Saudades.
Beijokas e uma semana inspirada.