sexta-feira, 29 de julho de 2011

O que restou do nosso amor?

Na verdade a pergunta correta seria, o que restou do meu amor! Uma pedra guardada no meu peito e uma vontade imensa de encontrar de novo, este sentimento vivido  neste caminho...... Apesar de você ter instilado este amor, ele foi todo tecido por mim  à espera da ternura que nunca me vinha e eu andava pobre, tão pobre de carinho que  até pensei que fosses minha...

9 comentários:

olhar disse...

ame-se...acima de tudo e todos...

margoh werneck disse...

Sabia???- são pequenas coisas, muitas vezes insignificantes, que mudam seu dia completamente-

[contem 1 beijo]

Vivian disse...

...a Bia disse tudo, e eu
apenas completo:

não mendigue amor.

ou ele vem naturalmente,
ou não é pra você este amor.

desamor tbm é uma forma
de amor, sabia?

placco araujo disse...

Eu não poderia ter 3 amigas tão queridas tão perto, e supostamente me defendendo, me cuidando..

Não existe nenhum desamor aqui..

Se vocês lerem o texto do blog (o principal), verão que não entrei de gaiato no navio... mas que é bom o fato de simplesmente sentir ...

Bom é se sentir vivo.. e esta menina me concedeu isto!!!

Sexo c/ Amor? disse...

O Amor está em nós! A outra pessoa foi um personagem, na história deste amor!
beijo

C. disse...

É sempre assim quando "e eu andava pobre, tão pobre de carinho". A carência tem uma tendência de iludir. E o que você tem escrito no header do seu blog, é no mínimo bom, saber que ainda temos a capacidade de amar...

Camila Lourenço disse...

Oi Placco. Texto lindo!!!

Quero te agradecer pelos comentários sempre tão ricos em conteúdo e carinho que vc deixa em meu blog. Baseado no que vc comentou em meu último texto e em muitos comentários que hora ou outra eu recebo, resolvi fazer um texto pra esclarecer os sons que são ouvidos por lá. Passe lá depois.


Beijo!

Ceci M. disse...

O amor é uma deliciosa invenção.

Amor e outros delírios disse...

Bom, talvez vc deva ignorar meu comentário, pq ele parte de alguém que não sabe nada da sua pedrinha, mas tem pedrinhas que por mais que a gente insista, as vezes simplesmente não nos servem mais. Aí então, me imagino em frente a um grande lago, com a bendita pedrinha na mão e, de repente, arremessando-a daquele jeito em que a pedrinha dá 3 pulinhos na água, sabe? rsss
Ignore, ignore.
Essa Marie não entende nada mesmo de pedras.
Beijos,
da Marie